Muitos já ouviram falar, mais a maioria não sabe o que é o FGC, ou o Fundo Garantidor de Crédito. O FGC é uma entidade privada sem fins lucrativos criada em 1995 e mantida pelas instituições financeiras associadas a ele.

Na prática, mensalmente estas instituições depositam 0,0125% sobre o valor que possui aplicado de seus correntistas, gerando assim um grande aporte de dinheiro que poderá ser utilizado em caso de falência de um destes associados para pagar seus credores, evitando assim um “calote” dos bancos a seus correntistas.

Isto gerou uma grande compensação quando você pensar em investir seu dinheiro, pois como sabemos, instituições mais sólidas e antigas oferecem seus produtos com rendimentos não tão bons quanto a bancos pequenos. Com a garantia do FGC, há uma maior garantia do investidor em aplicar seu dinheiro em uma instituição menor já que caso o banco venha à falência, o FGC assume este “prejuízo” e paga os credores.

Limite de R$ 250.000,00

Não são todos os valores que são assegurados pelo FGC, “apenas” R$ 250.000,00 por cada CPF (ou CNPJ) em cada instituição financeira é garantido por ele.

Exemplo: Se você possui R$ 200.000,00 em um Banco A e R$ 180.000,00 em um Banco B, em caso de falência dos dois bancos, você receberá seu dinheiro de volta.

Ecemplo 2: Se você possio R$ 300.000,00 em dois bancos, somente será ressarcido em R$ 500.000,00, ficando os R$ 100.000,00 para você tentar receber diretamente dos bancos.

1 milhão por CPF

Em dezembro de 2017, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou um “teto” para pagamento destas dívidas, que deve ser considerado ao investir seu dinheiro.

Este teto é de R$ 1.000.000,00 por CPF (ou CNPJ) em um período de 4 anos, independente da quantidade de instituições financeiras.

Exemplo: Se você possui R$ 200.000,00 em 5 bancos diferentes, você será ressarcido em caso de falência dos 5 bancos.

Exemplo 2: Se você possui R$ 200.000,00 em 6 bancos diferentes, você será ressarcido somente no valor teto que é de R$ 1 milhão.

Mas isto não desconfigura o limite de R$ 250.000,00 citado anteriormente.

Exemplo 3: Se você possui R$ 300.000,00 em 3 bancos, e os 3 vieram à falir, você será ressarcido pelo FGC em apenas R$ 750.000,00. Os R$ 150.000,00 restantes você terá que acionar meios legais e entrar na lista de credores dos bancos para poder reaver este dinheiro.

Investimentos protegidos pelo FGC

  • Depósito à vista ou sacáveis em Conta Corrente
  • Valores da Conta Poupança
  • Depósitos à prazo com ou sem emissão de certificado (CDB e RDB)
  • Depósitos mantidos em contas não movimentadas por cheques – Conta Salário, Vencimentos, Aposentadorias, Pensões e outros equivalentes
  • Letras de Câmbio (LC)
  • Letras Imobiliárias (LI)
  • Letras Hipotecárias (LH)
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI)
  • Letras de Crédito de Agronegócio (LCA)

Tesouro Direto não possui garantia?

Sim, o Tesouro Direto não possui garantia pelo FGC, mas possui garantia pelo Governo Federal. O que torna o Tesouro Direto um produto seguro como os outros, pelo menos na atual Estabilidade Brasileira.

O que não possui proteção do FGC?

  • Tesouro Direto – Já falamos que é garantido pelo Governo Federal.
  • Fundos de Investimento Imobiliário (FII)
  • Fundos de Investimento Financeiro – Mas quando um banco tem problemas, os cotistas podem mudar de banco
  • Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)
  • Certificado de Recebíveis de Agronegócio (CRA)
  • Debêntures
  • Letras Financeiras (LF)
  • Fundos de Investimento em Direitos Creditórios

Resumão

O mais importante a saber é a existência deste Fundo Garantidor de Crédito e saber que você pode aplicar seu dinheiro em um banco bem menor que pague taxas muito atrativas.

Que valores em conta corrente, poupança, CBD, conta salário, LCI e LCA (e outros da listagem) que são investimentos mais comuns, são todos garantidos pelo FGC.

Mas lembre-se que bancos com menor solidez tem taxas maiores e sempre existem riscos a correr, o que o FGC faz é minimizar este risco.

%d blogueiros gostam disto: